segunda-feira, dezembro 01, 2014

Espaço

Talvez não haja mesmo espaço.
Entre uma cerveja e outra. Entre um poema públicado e um conto em rascunho. Entre  as horas que passa na internet filosofando com amigos ou pessoas que nem conhece.
Talvez, não me caiba. Por mais que eu tente,  não nos cabe continuar. Não dá mais pra dividir a cama,  as risadas,  compartilhar os momentos. Não há espaço, nem tempo pra beijinho de despedida. E,  por me sentir assim, tão descabida, fora do eixo, sozinha, tenho que partir.

sexta-feira, agosto 08, 2014

Bloco de Pedra


"Não sou boa companhia, não gosto de conversar. Não quero trocar ideias – ou almas. Sou apenas um bloco de pedra para mim mesmo. Quero ficar dentro do bloco, sem ser perturbado. Foi assim desde o começo. Resisti a meus pais, resisti à escola e depois resisti a tornar-me um cidadão decente. O que quer que eu fosse, fui desde o começo. Não queria que ninguém mexesse com isso. E ainda não quero."




No livro "O capitão saiu para o almoço e os marinheiros tomaram conta do navio" 
Charles Bukowski

quarta-feira, agosto 06, 2014

Frio

Meu corpo se estremecia inteiro.  Era um frio fora do comum,  um frio que vinha de dentro. Me enrolei no edredon dele,  enquanto o esperava sair do banho.   Pensei no que dizer,  não daria pra disfarçar minha decepção. Dormir também não resolveria.  Aflita, resolvi andar pelo quarto, sem direção. Aquele seria o início do fim do nosso relacionamento confuso.
Minutos depois,  ele saiu do banheiro. Sentada na cama, evitei o contato visual. Tentei me distrair,  destruindo o esmalte roxo que restava nas unhas. Ele percebeu. Me conhecia melhor do que eu mesma. Deve ter pensado em todos os seus erros naquele momento e, qual deles eu havia descoberto.
Ele se deitou comigo, me abraçou.  Queria saber o porquê, afinal, de eu estar naquela crise. Não conseguia responder, meu coração batia forte, me faltava ar e sentia tanto frio,  medo. 
Segurei o choro. 
Droga, eu o amava.

Anne Magalhães

quarta-feira, abril 16, 2014

Diga

Ao som de "Say Something - A Great Big World ft. Christina Aguilera"
Diga-me enquanto há tempo. Enquanto esse amor ainda é ínfimo. Deslize as mãos sobre meus cabelos, num sinal de afeto, antes que eles se embarassem, minhas esperanças fiquem turvas e os sonhos não tenham mais lugar pra morar. Diga, antes que anoiteça. Antes que eu me esqueça da minha promessa de ficar. Não espere eu voltar. Talvez eu nunca volte.                                        
Diga-me, meu bem, antes que essa menina cresça e, quem um dia muito te amou, só se arrependa, se amargure, endureça.
       

domingo, abril 13, 2014

Explicações



"Acho que o amor não tem muita explicação, a não ser a seguinte: a gente precisa estar preparado para a chegada dele. Porque é difícil, é muito difícil amar. E dói. Não pense que ao encontrar o amor da sua vida os dias se transformarão em delícias sem fim. Dói. O amor de verdade dói. Ele arranha. Você fica com medo que um dia o sentimento te abandone. Isso causa dor. Dói. Eu insisto: dói. Não é um mar de rosas, depois que passa a fase inicial e você conhece os defeitos de trás para a frente, dói. É uma dor doce. Mas você não precisa da outra pessoa. Você gosta de como ela te abraça, te entende, te ouve, te beija, te olha. Você acha bonita a forma como ela mexe a colher dentro da panela, amarra o sapato, segura o guarda- chuva, tosse, liga a televisão. Só aquele tom de voz te tranquiliza, só aquele abraço te salva do caos de uma semana infernal. Você tem consciência que existem outras coxas, peitos, braços, pernas, olhares e cérebros no mundo. Você sabe que existem outras pessoas bonitas, atraentes e cheirosas no planeta. Mas só aquela te deixa com tesão. Tesão por tudo. Pela vida. Pela crença no amor de verdade. Pela vontade de juntar as escovas de dentes e as meias na gaveta. Pela magia que o amor traz. Pela rotina que o amor traz. Pela chatice que o amor traz. Porque o amor também é chato, um legítimo velho resmungão. O amor também é cheio de tédio. Mas se você sente que só aquela pessoa vale e merece essa dor que acompanha o amor, então é porque você ama com tudo o que você pode. E, aí sim, é que você está completamente livre. Livre para ser quem quiser. Para fazer o que tiver vontade. Para exercitar a sua solidão. A dois. Somando. Fazendo crescer."


Clarissa Corrêa

quarta-feira, abril 09, 2014

Autofágico

Auto-multiplicando-se dentro de mim, só para se provar maior do que minha capacidade de fingir que não me importo. Amor. Talvez seja assexuado, autofágico. Sobrevivendo, apenas para ser notado.

domingo, março 23, 2014

Romance e sacanagem


"O amor está nos momentos, e o sexo é somente a recompensa desse gostar. Não posso te prometer que os meus desejos continuarão sempre os mesmos, mas posso lhe dar a minha palavra de que o que é nosso será registrado como "somente nosso" no meu cartório intimo e que, dessa forma, o respeito será sempre o maior alicerce dessa relação regada a romance e sacanagem." 
Frederico Elboni

sábado, março 15, 2014

As Sem - Razões do Amor



Eu te amo porque te amo.
Não precisas ser amante,
E nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
E com amor não se paga.
Amor é dado de graça
É semeado no vento,
Na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
E a regulamentos vários.
Eu te amo porque não amo
Bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
Não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
Feliz e forte em si mesmo.
Amor é primo da morte,
E da morte vencedor,
Por mais que o matem (e matam)
A cada instante de amor.
Carlos Drummond de Andrade

segunda-feira, março 03, 2014

Sobre se entregar


Ele vive no mundo dele, no qual, eu não consigo entrar.
Ele escapa de dentro do meu abraço e foge. Nunca sei quando volta. Não há como saber se volta. Vivo nessa agonia de não saber se serei recebida com um sorriso largo ou indiferença. O mesmo frio na barriga que senti no dia em que o conheci. Conto os dias, ansiosa, receosa, aflita. Fusão de medo e vontade.
Eu mergulhei muito fundo. Eu dei tudo de mim. Me neguei a possibilidade de não dar certo. E agora, me vejo à beira de um precipício. Sozinha.


02/02/2014
@Ladymsr

quinta-feira, janeiro 23, 2014

Nós


E, então é isso. Eu nunca entendo tuas atitudes. Não entendo o que se passa nesse teu coração cheio de feridas e sei que não cabe a mim consertá-lo. Não sei se você pensa no que eu penso sobre o que você pensa. E eu penso que, talvez por isso, eu não me entregue totalmente.
É tudo muito confuso assim.
E se não fosse assim, não seria(m) nós.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...