sexta-feira, dezembro 06, 2013

Culpa de dois



"Eu não tenho nenhuma justificativa, meu bem, senão a única a qual aceitei. E me exponho aqui às claras sem nenhuma vergonha em te dizer. Eu fiquei porque escolhi ficar e não porque eu não podia partir. Eu fiquei porque eu quis apostar, quis arriscar, quis pagar pra ver. Fiquei porque o amor que eu tinha sempre foi maior que a necessidade de ir embora. Fiquei porque preferi acreditar que o tempo constrói ao invés de desistir no meio da empreitada. Preferi não virar às costas e aceitar, do jeito que fosse, o que você podia me dar. E eu poderia, como tantas outras vezes em minha vida, deixar tudo pra trás. Torcer pra que os caminhos se descruzassem nas esquinas onde nos conhecemos tão bem e me abrir para que o destino tratasse de colocar outro amor no teu lugar. Eu poderia, mas eu fiquei, fiquei porque eu te amei, tanto ou nunca como alguém um dia irá; e mesmo com o coração confuso, eu fiquei. Fiquei porque eu vi que você queria se encontrar. Mas eu não vi que teu excesso de cuidado de me ter sempre por perto era pelo tanto que a gente havia se tornado amigo e, isso, infelizmente, só me foi esclarecido quando você já nem fazia ruídos. Fiquei porque você me fez acreditar que o tanto que eu te amava, um dia você também poderia me amar. Então, não me culpe e não me diga que sou teimosa. Não diga, por favor, que entendi tudo errado quando você mesmo não me deixou partir porque de alguma forma você também tentava."
Larissa Bottas

sexta-feira, novembro 29, 2013

Tão só



“E ela ainda é tão só…”, sussurrava o rádio naquela madrugada insone de verão em que ela fora surpreendida por todos aqueles pensamentos que quase engoliam sua mente. Ela não sabia onde iria parar dentro de si. Todas aquelas lembranças que agora saíam de seus olhos e se esparramavam pela cama se misturaram à sua confusão e agora ela já não conseguia se encontrar. Abraçou a solidão e deitou.
Nunca havia se sentido tão só em toda a sua vida. Doía toda vez que estendia o braço na cama e se deparava com a saudade e com lembranças que nunca dormiam. O que havia de tão errado com ela, afinal? Talvez o seu vazio fosse impreenchível, talvez ela fosse incompatível, talvez o amor lhe fosse impossível. Chorou.
Do amor ela nada sabia, na verdade. Tudo o que tivera até então não passava de paixões, de ilusões, de desejo, de expectativas não correspondidas. Sabia que, no fundo, todos os seus amores eram muito rasos — e, mesmo assim, ela havia mergulhado. “Até tu?”, perguntava toda vez que alguém desfazia seus planos e partia de sua vida para nunca mais voltar. Sim, até ele, até aquele que parecia tão sincero e tão apaixonado e tão confiável e tão querido e tão tudo mais que a gente vê quando ama. Sim, até ele, todos. “Eu não quero alguém que me complete, basta que me deixe inteira quando for embora”, dizia enquanto livrava seus olhos do pesar que deles escorria.
Tantas vezes fora aprisionada na mais alta torre de babel esperando ser salva por seu príncipe, vivera verdadeiros contos de fadas em castelos de cartas que desabaram ao mais suave toque, tivera uma vida de rainha em palácios tais quais o de Nero. Ruínas de amor, destroços de felicidade, pedaços do que um dia fora seu mundo.  
“Moldar um amor delicado e resistente não é fácil”, concluía ela ao pensar sobre seus amores arruinados. Assim como Ícaro queria as asas, ela queria um amor de cera que não derretesse sob o sol.
O rádio agora murmurava alguma música qualquer que se perdia na imensidão daquele quarto quase que vazio. Exausta, ela dormiu para parar de pensar, para viver em sonho, para não mais sentir. E a solidão a abraçou mais forte do que nunca. 

Daniela Lusa


Partir



Ele gostava de sonhar o impossível. Pra ela, a realidade era perfeita.
Ele sonhava com o toque de pessoas que nunca viu. Ela delirava com as digitais dele, no corpo dela.
Ele viajava entre cores, sensações e perfumes que nunca sentiu. O abraço dele era o lugar preferido dela no mundo.
Cansada de se desfazer, ela partiu. Não se pode competir com a imaginação de uma pessoa.
E então, o toque, o perfume, cores, sensações e colo dela, era tudo o que ele queria. Tarde demais.

quinta-feira, outubro 31, 2013

Meu paraíso


Te quero por perto. 
Quero saber tua opinião sobre diversos assuntos. Filmes, músicas, séries, livros, política, esportes e religião. Discutir contigo. Sei que irá discordar, porque é o que gosta de fazer. Vai me irritar, porque diz que isso me deixa sexy. Nos odiaremos por alguns sengundos, mas logo não haverão argumentos e eu vou querer fazer sexo contigo. Eu cedo, tu sede.
Quero te sentir transpirar, respirar, amar. Confundir minhas pernas com as tuas, te morder o pescoço, me perder em ti. 
Olhar nos teus olhos, sorrir. Te fazer sorrir. Meu pedaço de paraíso na Terra.

segunda-feira, outubro 14, 2013

Meu grito


Então eu grito "EU TE AMO!". Loucamente. O mais alto que pude. Sei que conseguiu escutar a 6288 milhas daqui. Foi apenas uma tentativa de fazer voar esse sentimento que está engaiolado há anos. Porque amar e conter é dor.

segunda-feira, setembro 23, 2013

Antes de partir

13/09/2013
De algum lugar distante.




Estava aqui, me lembrando do nosso primeiro encontro...tanto tempo se passou. Discussões, mágoas, encontros, sorrisos. Aguas passadas.
E aqueles planos não fizemos, nunca se concretizariam. Nossa música não tocou e a festa está no fim.
Hoje, desenhei meus planos e os teus, não combinavam. O engraçado é que eu trocaria todos eles por você. Eu deixaria tudo para ter uma vida pacata ao teu lado.
Me chame de louca, inconsequente, obsessiva, mas me chame para dentro do teu abraço.
Meus dias têm sido nublados sem você por perto. Sinto tua falta. Teu sorriso, teu olhar, tua sensibilidade disfarçada, tua barba me roçando a nuca, tuas mãos desvendando meu corpo. Essas memórias não me deixam dormir.
Por isso estou te escrevendo. E mesmo que eu não tenha coragem de te dizer, mesmo que não me leia. Antes de partir, preciso estar segura de que esgotei todas as nossas possibilidades. Porque, na verdade, nunca tentamos. 
Antes de partir, preciso ter certeza de que não pensa em mim, minutos antes de dormir.
Por favor, me responda. Nosso tempo está esgotando e eu pretendo te deixar apenas com nossas memórias.

Se cuida (te amo).
Lady



domingo, setembro 22, 2013

Slow dancing in a burning room


"Vou escrever essa poesia, agora, pra te alcançar. Te alcançar porque você está tão distante e não só fisicamente. Por conta disso, penso em você dia sim e dia não. Me protejo. Procuro dançar a música conforme o teu ritmo, mas quando eu não ligo muito se você sabe os passos, eu danço sozinha mesmo. Tem lembranças nossas que, quando eu me permito, me invadem. E justo eu que não gosto muito de me censurar, me pondero. Pondero você também. Saudade às vezes devora. E fica, assim, a sensação de que você não é aquela pessoa a qual eu devo deixar passar, mas sim aquela a qual eu devo descobrir. Ao menos mais um pouco. Ao menos enquanto a gente ainda se lembra do formato do corpo nos momentos em que a gente foi amante e enquanto a gente souber o quão gostoso era, além de tudo, ser amigo. Ao menos enquanto a gente ainda sabe sorrir. Ao menos enquanto a gente sabe sentir que a saudade nos levaria a um segundo encontro. Então, para que essas palavras te cheguem até você e, para que fiquem registradas antes dessa noite terminar, eu gostaria muito de te perguntar se: vous voulez danser avec moi ce soir?"

Larissa Bottas
Ouvindo: Slow Dancing In A Burning Room - John Mayer 

domingo, setembro 15, 2013

Toda tua


Amo tanto que dói.
Dói passar um dia sem notícias tuas. Dói perceber que ficamos parados, vendo todas as nossas possibilidades indo embora. Dói ver a distancia tirando de mim, o pouco que tinha. Dói não ter te roubado os versos que me pertenciam.
Sigo sussurrando palavras que nunca será capaz de escutar. Versos tão teus, quanto meus. Rimas que fiz pra ti. 
Sou tua.


sábado, setembro 14, 2013

Não era amor

"Não era amor, era o seu sorriso implorando pra virar poesia.
Era o desejo sem cura de ser só sua. Era a música que foi trilha dos momentos mais lindos que passei com você.
Não era amor, era uma saudade que nunca dormia, um beijo que demorava, um abraço com cheiro de paz.
Eram as mãos dadas, os olhares que diziam tudo, e a sua língua passeando em mim.
Não era amor, era um sentimento que ninguém podia mudar, nem substituir, nem significar.
Era adormecer ao seu lado, cabeça no seu peito, amanhecer nós dois.
Era a linha tênue entre o meu quadril e as suas vontades, entre a sua barba e as minhas coxas, entre a minha boca e o seu corpo inteiro.
Era dormir pensando, e acordar querendo ainda mais. Planejar momentos, passar o dia com você no pensamento.
Não era amor, era paz e desassossego.
Era te sentir perto, mesmo quando longe. Era o seu cheiro em mim.
Era a beleza de uma história sem rótulos e sem promessas, movida por um querer que jurei que não teria fim.
Era você renovando a minha fé no amor, mesmo depois de terem me dado tantos motivos pra desacreditar.
Não era amor.
Ainda é. (mas acabou)"
Karla Tabalipa

quarta-feira, setembro 11, 2013

Opus 17


O livro rasgado sob a cama
As poesias que não soube escrever
O dia que fui embora
A hora que não cheguei em você

O fim da tarde que chegou cedo
A perfeição dentro do medo
Eu me subestimando
pra chegar em você

Os dias que não me procurou
Os dias a mais que gostei de ti

O costume
Os danos
O que não faz sentido
O que não era destino

A maldição
As repostas

O que não me disse
O que imaginei

Também foi o que quis
e não me quis

Nem com os lábios pintados 

eu consegui escrever minha boca na sua

Hellen Hosseini
http://editandoasaudade.blogspot.com/2013/07/opus-17.html

terça-feira, agosto 06, 2013

Era assim


E ela, então, chorou alto, convulsamente, sob muitos tormentos reunidos e confusos, e as pessoas se desfizeram diante dela, como estátuas de cinza, e a casa ficou vazia, sem mais braços, sem mais rostos, sem mais vozes certas. Sozinha ela existia entre as coisas imóveis, que talvez lhe falassem, se pudessem, e a abraçassem, se não estivessem presas na sua forma. Sozinha ela existia - com as cadeiras, os espelhos, as paredes, as nuvens, o sol… 
Era assim.

Cecília Meireles

domingo, agosto 04, 2013

O abandono



"Frequenta o abandono quem vive um quase namoro, fantasia reciprocidade, aceita abraço frouxo, conversa sem olho no olho, ausência de carícia. Frequenta o abandono quem chama a rejeição de saudade, implora por qualquer fiapo de atenção, enfeita sua própria desvantagem. Frequenta o abandono quem vê na recusa uma possibilidade de mudança ignorando os sinais óbvios da distância. Frequenta o abandono quem não reconhece que ser bem tratada não é um mérito, mas uma condição e segue chamando migalhas de banquete. Frequenta o abandono com assiduidade quem se contenta com tão pouco que o Outro para mantê-la descobre que pode dar cada vez menos. Frequenta o abandono quem não está disponível pra viver um romance porque namora um drama."

Marla de Queiroz

terça-feira, julho 30, 2013

Preconceito


"O amor é uma espécie de preconceito. A gente ama o que precisa, ama o que faz sentir bem, ama o que é conveniente. Como pode dizer que ama uma pessoa quando há dez mil outras no mundo que você amaria mais se conhecesse?

Mas a gente nunca conhece."

— Charles Bukowski

sábado, julho 27, 2013

Nunca mais


"Não foi de um dia pro outro. Acho que começou naquele momento em que você prometeu que viria e não apareceu. Aí me procurou no outro dia com flores e uma desculpa esfarrapada. Eu não acreditei, mas fingi que sim. Porque ainda existia algo dentro de mim que pedia pra te deixar ficar...E foi piorando nas vezes (tantas que perdi as contas) que eu te liguei e você não atendeu. Não viu. O celular estava no silencioso. Estava no banho, dormindo ou coisa assim. Ocupado demais pra mim. Não retornou. Não fez questão que eu acreditasse nas suas explicações. Amor com gosto de ‘tanto faz’.E o fim foi se confirmando quando eu passei a ir dormir sem esperar sua ligação. Quando eu parei de abrir o e-mail com frio na barriga, quando eu recebia sms e não corria pro celular, esperando que fosse mensagem sua... quando eu deixei de fazer questão de te responder no mesmo segundo em que você me chamava no chat.Deixei de sentir ciúme daquela sua ‘amiga’ que curtia tudo o que você postava. Eu já não estava nem aí pra que lado você estava olhando.
Foi quando paramos de dar valor aos pequenos momentos, que o nosso amor ficou menor.
Andar de mãos dadas na beira do mar. Passar o domingo entre filme, beijos e edredom.
Seu sorriso já não me fazia sorrir. Suas vontades já não eram as minhas.
Não sei exatamente quando tudo se perdeu. Quando deixei de me sentir sua. Quando parei de ‘te querer meu’. Só sei que hoje eu acordei sem saudade. E com uma vontade imensa de arquivar nossa história, refazer os meus planos e recomeçar sem você.
Indiferença, ausência, mentiras, briguinhas banais.
E o nosso amor virou ‘nunca mais’."

Karla Tabalipa 

quinta-feira, julho 18, 2013

Roll the dice



Se você vai tentar, vá com tudo
Senão, nem comece.
If you’re going to try, go all the way.
otherwise, don’t even start.

Se você vai tentar, vá com tudo
if you’re going to try, go all the way.

Isso pode significar perder namoradas,
esposas, parentes, empregos
e talvez a cabeça.
this could mean losing girlfriends, 
wives, relatives, jobs,
and maybe your mind. 

Vá com tudo.
go all the way.

Isso pode significar ficar sem comer por 3 ou 4 dias
Pode significar passar frio num banco de praça
Pode significar cadeia, menosprezo, insultos, isolamento.
it could mean not eating for 3 or 4 days. 
it could mean freezing on a park bench. 
it could mean jail, it could mean derision, mockery, isolation. 

Isolamento é o presente
todos os outros são um teste da sua resistência
de quanto você realmente quer fazer isso.
isolation is the gift, 
all others are a test of your endurance, 
of how much you really want to do it. 

E você vai fazer
and you’ll do it

Apesar da rejeição e dos piores infortúnios
E isso será melhor do que qualquer coisa 
que você possa imaginar. 
despite rejection and the worst odds 
and it will be better than anything else 
you can imagine. 

Se você vai tentar, vá com tudo.
if you’re going to try, go all the way.

Não há outro sentimento como esse.
Você ficará sozinho com os deuses
e as noites irão flamejar como fogo.
there is no other feeling like that. 
you will be alone with the gods 
and the nights will flame with fire. 

Faça, Faça, Faça.
do it, do it, do it.

Vá com tudo, por todos os caminhos 
Você cavalgará a vida direto até a gargalhada perfeita 
essa é a única boa luta que existe. 
all the way. all the way.
you will ride life straight to perfect laughter,
its the only good fight there is.



"Roll the dice"
Charles Bukowski

domingo, junho 02, 2013

O grito


"Eu vou saindo sem dizer nada e o seu silêncio gentilmente abre a porta para mim. E quando eu já estou lá fora esperando um trem passar eu ouço qualquer coisa que parece ser um grito seu. Mas eu já estou longe, longe demais quando percebo que é mesmo seu o grito. Eu nem sabia que você podia gritar."

Maria Clara Moraes

sábado, maio 25, 2013

Eternidades



" Alguns amores nos ensinam eternidades. Em poucos segundos entendi que, em mim, as suas não ficariam. Você não foi feito pra ficar. Você é vento. Vento que murmura. Vento que mistura. Vento que deixa. Você é o beco mais difícil do meu poema. Poema com saída. Não aprendi o ponto que te finaliza. Acendo uns atalhos. Te abrigo nas asas desse abraço. Te escrevo alguma liberdade. Tua ausência é o meu mormaço. Danço pra te ver nascer."

Priscila Rôde 

terça-feira, maio 21, 2013

Não seria eu



"Se não fossem as minhas malas cheias de memórias 
Ou aquela história que faz mais de um ano 
Não fossem os danos 
Não seria eu (...)
Eu não sei o que você tem contra mim 
Você pode tentar por horas me deixar culpado, mas vai dar errado 
Já que foi o resto da vida inteira que me fez assim 
Se não fossem os ais E não fosse a dor 
E essa mania de lembrar de tudo feito um gravador 
Se não fosse Deus bancando o escritor 
Se não fosse o mickey e as terças feiras e os ursos pandas e o andar de cima da Primeira casa em que eu morei que dava pra chegar no morro só pela varanda 
Se não fosse a fome e essas crianças e esse cachorro e o Sancho Pança se não fosse o Koni e o Capitão Gancho."

Clarice Falcão

domingo, abril 28, 2013

Coração sem jeito


"Acho que eu não vou te deixar nessa tarde. E aceito. Sigo fragmentando seus rastros, seus cílios: argumentos que fazem durar nesse olhar-toque-vento a minha versão mais bonita – de você, que mal sabe, mal arde, mal segue. Sigo maculando a tua parte fina, teu eu coalhado que atravessará e se espalhará no meu quarto, num gole azedo de pensamento. Você ainda caminhará sobre sinais importantes, dentro das conversas engasgadas. Resistirá ao outono e doerá macio no inverno. Subsistirá. E será a minha referência mais ampla de abandono. Deixo-te secar em mim para que reste apenas o casco frágil das tuas falas. De tudo que fomos, fico com o que ferve sem sentido, sem voz, sem pele. Sei que não mereces esse sorriso que se abre quando te lembro mas, não o impeço. Não vou te deixar nessa tarde. Não nessa tarde. Não nesse verso. Deixo-te assim que o nunca ficar mais perto. Meu tempo ainda te escolhe em silêncio. Não te percebo entrando, se refazendo. Percebo-te já instalado, amargurando. Meu tempo não te apresenta. Você é o meu coração sem jeito. A palavra que não domino. Só cuido de ti (ainda) porque em ti me busco, me encontro. Demoro."


Priscila Rôde

quinta-feira, abril 25, 2013

Não estou

"Caí em meu patético período de desligamento. Muitas vezes, diante de seres humanos bons e maus igualmente, meus sentidos simplesmente se desligam, se cansam, eu desisto. Sou educado. Balanço a cabeça. Finjo entender, porque não quero magoar ninguém. Este é o único ponto fraco que tem me levado à maioria das encrencas.Tentando ser bom com os outros, muitas vezes tenho a alma reduzida a uma espécie de pasta espiritual. Deixa pra lá. Meu cérebro se tranca. Eu escuto. Eu respondo. E eles são broncos demais para perceber que não estou mais ali."
Charles Bukowski


segunda-feira, abril 01, 2013

Não hoje


Me arrumei, maquiei e escolhi minha melhor roupa, mas não tive coragem de abrir a porta. Sair de casa me pareceu assustador.
Lá fora, há pessoas. O que pensam e o que escondem.
Quando tudo o que já acreditei me parece mentira. Quando todas as pessoas nas quais eu confiei, me puxaram o tapete. Quando tudo o que já conheci de verdadeiro, foram meus sentimentos.
Me sinto só. E tudo o que tenho agora são minhas dúvidas, meus medos. 
Decidi, então, tirar toda a minha fantasia de pessoa normal.
Não vou sair. Não hoje.


@Ladymsr

domingo, fevereiro 24, 2013

Colecionando segredos


"Mas ela gosta de colecionar segredos. Coisas grandes, que ela guarda dentro de uma caixinha. É doce, doce, extremamente doce, tão doce. E ela fica ali, mastigando alegrias."


Caio Fernando Abreu

sábado, janeiro 19, 2013

(Re)Soluções para 2013


Talvez, se eu fosse mais confiante. Talvez, se eu fosse mais intenso. Se você não morasse tão longe. Se eu tivesse tempo.  Se eu tivesse dinheiro. Talvez...se não fosse proibido. Se as pessoas não fossem comentar. Se eu fosse mais jovem. Se não fosse meu trabalho, minhas obrigações. Se eu não fosse tão problemático.
Se não fosse minha falta de vontade... talvez.

Pode parecer egocentrismo. Mas na minha vida só quero pessoas que me tragam soluções, não problemas. Afinal de contas: onde sobram desculpas, falta vontade.  E onde falta vontade, com certeza não há amor.
Minha única resolução para o ano: me livrar de pesos desnecessários.


@Ladymsr

quarta-feira, janeiro 02, 2013

Meu medo


Dessa vez, foi o nosso fim. Sem reticências, sem despedidas. De uma forma que eu nunca esperei. 
Você me diz estar apaixonado por outra e eu, que sempre o amei mesmo que em silêncio...eu fico sem rumo.
Passei a ter medo de ir pra cama. Tenho medo da insônia. Medo de que todos os pensamentos que evitei durante o dia venham à tona.
Tenho medo de ficar com a mente desocupada e lembrar de ti. Por isso, preencho qualquer resquício de tempo livre com livros e filmes. 
Tenho medo de escrever, porque como agora, boto tudo pra fora e as lágrimas são inevitáveis. E não posso conversar, desabafar com ninguém, pois era meu único amigo.
Medo de sentir falta do teu abraço e não poder te chamar, nunca mais.
Tenho medo dos meus medos, porque só você sabia me proteger deles. Só você me escutava e conhecia todos meus segredos e vontades. 


Tenho medo de continuar vivendo assim.

@Ladymsr

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...