quinta-feira, julho 28, 2011

Quase


"Chorar deixou de ser uma necessidade e virou apenas uma iminência. Sofrer deixou de ser algo maior do que eu e passou a ser um pontinho ali, no mesmo lugar, incomodando a cada segundo, me lembrando o tempo todo que aquele pontinho é um resto, um quase não pontinho. Você, que já foi tudo e mais um pouco, é agora um quase. Um quase que não me deixa ser inteira em nada, plena em nada, tranqüila em nada, feliz em nada. Todos os dias eu quase te ligo, eu quase consigo ser leve e te dizer: “Ei, não quer conhecer minha casa nova?” Eu quase consigo te tratar como nada. Mas aí quase desisto de tudo, quase ignoro tudo, quase consigo, sem nenhuma ansiedade, terminar o dia tendo a certeza de que é só mais um dia com um restinho de quase e que um restinho de quase, uma hora, se Deus quiser, vira nada. Mas não vira nada nunca. Eu quase consegui te amar exatamente como você era, quase. E é justamente por eu nunca ter sido inteira pra você que meu fim de amor também não consegue ser inteiro. Eu quase não te amo mais, eu quase não te odeio, eu quase não odeio aquela foto com aquelas garotas, eu quase não morro com a sua presença, eu quase não escrevo esse texto. O problema é que todo o resto de mim que sobra, tirando o que quase sou, não sei quem é." 

Tati Bernardi

domingo, julho 24, 2011

I wish you love



"(...) Desejo-lhe saúde
Mais do que riqueza
Desejo-lhe amor

Meu coração quebrado e eu concordamos
Que eu e você nunca poderíamos ter sido
Então com o meu melhor
O melhor de mim
Eu lhe deixo livre

Desejo-lhe abrigo da tempestade
Uma gostosa fogueira para mantê-lo quente
Mas, sobretudo
Quando a neve cair
Desejo-lhe amor."

Presença


Estranho dizer que sinto saudades. Saudades se referem a algo que passou e você está tão aqui, presente. 


sábado, julho 23, 2011

Amar por completo


"Ela é intensa e tem mania de sentir por completo, de amar por completo e de ser por completo. Dentro dela tem um coração bobo." 

Caio Fernando Abreu


A palavra saudade...



Vem do latim "solitas, solitatis" (solidão), na forma arcaica de "soedade, soidade e suidade" e sob influência de "saúde" e "saudar". Saudade é uma das palavras mais presentes na poesia de amor da língua portuguesa e também na música popular, "saudade", só conhecida em galego e português.
Significa recordação suave e melancólica de pessoa ausente, local ou coisa distante, que se deseja voltar a ver ou possuir. Nostalgia.

sexta-feira, julho 15, 2011

E dá para sentir isso o tempo todo?


"Sim, ele era encrenca, das boas. Eu sabia o que estava fazendo, ele também: estávamos fazendo uma coisa errada. Gosto da luz, dos olhos dele. Gosto de me encantar, gosto de não poder me encantar e mesmo assim estar me encantando. Apesar de todo esforço, meu poder era uma ilusão. Apesar do desprendimento, eu me enganava o tempo todo. Nada de alegria, alegria. Ele fecha a porta e volta para sua vida real. Para os dois, porque ele não era egoísta: tristeza, tristeza. Alegria, alegria. Eu me implorava. E dá para sentir isso o tempo todo? Eu me cobrava tanto ser feliz que às vezes perdia a noção de que já era. Fugir da felicidade ou fugir com ela? Num ímpeto de tesão, ou talvez após um trabalho de consciência confusa que, por orgulho, acabava se decidindo impulsivamente, respondi a vontade dele: - Sim, senhor. Vamos para onde o senhor quiser, a hora que desejar e na posição que preferir. Nem todas as histórias precisam ter virgens pálidas chorando às margens de um mar de espumas. Nem tudo precisa ser romance tuberculoso. Alegria, alegria. A felicidade, assim como a bebedeira, vai e vem. A felicidade, assim como o sexo, entra e sai. A felicidade, assim como ele, era impossível. Mas não é pra tentar ser feliz que a gente vive?"

Tati Bernardi


terça-feira, julho 12, 2011

Prosa



Apenas ouço o relógio, está ficando tarde e o sono chega. Meus pensamentos vão ficando vagos, distantes, quando penso em você. Passo a me perguntar como foi que cheguei até aqui?
 Eu, que era tão cheia de vida, fui perdendo a rima. As cores que eram nítidas, se embaçaram, como quando meus olhos se encheram de lágrimas na nossa despedida.
A vida foi ficando assim, sem graça. Foi aí que perdi a poesia. Foi aí que me acostumei a ficar sozinha. Não choro mais por não ter notícias tuas e não  importar também dói.


@Ladymsr

domingo, julho 03, 2011

Band-aid no coração



"Andei amando loucamente. De repente a coisa começou a desacontecer. Bebi, chorei, ouvi músicas demasiadamente tristes, tive insônia e excesso de sono, falta de apetite e apetite em excesso, vaguei pelas madrugadas, escrevi poemas (juro). Agora está passando: 'um band-aid no coração, um sorriso nos lábios – e tudo bem.' Ou: que se há de fazer??!"

Caio Fernando Abreu


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...