sábado, outubro 30, 2010

Sobre o afastamento...






"Uma pessoa, quando tá longe, vive coisas que não te comunica, e tu, aqui, vive coisas que não a comunica. Então, vocês vão se distanciando e, quando vocês se encontrarem, vocês vão se falar assim: oi, tudo bom e tal, como é que vão as coisas? E aí ele vai te falar, por cima, de tudo que ele viveu, e, não sei, vai ser uma proximidade distante. Não adianta, no momento que as pessoas se afastam, elas estão irremediavelmente perdidas uma da outra."

Caio Fernando Abreu



Lendo esse trecho de Caio, me dei conta de algumas coisas.
Me afasto de tudo, me afasto das pessoas e de seus problemas, das amizades, dos amores. Me sinto só e a culpa é toda minha!
Gosto de me fazer companhia, gosto de ir o mais longe possível nos meus pensamentos, viajo. Sim, às vezes gosto de ficar sozinha! Mas precisamos de alguém que nos dê força, que nos encoraje (ou desencoraje, em alguns momentos), que nos ouça, que nos abrace e diga 'vai dar tudo certo'. E tem coisa melhor do que você sentir que ajudou um amigo, nem que tenha ficado só escutando o desabafo?
E, quando acho que meu mundo vai desabar, problemas vêm a tona e preciso de um ombro pra chorar... cadê? 
Nessa correria do dia-a-dia, conheço muitas pessoas. Os colegas multiplicam-se. Os amigos subtraem-se. 
Amizade requer tempo e cuidado.  Amizade requer atenção, assim como todo relacionamento. E é tão comum nos afastarmos por 'falta de tempo'. 
Não mais permitirei me perder de meus amigos. Não me permitirei a distancia. Preciso dos meus amigos, preciso organizar meu tempo e estar presente quando precisam de mim.





Um comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...