sábado, julho 31, 2010







"Chorar por tudo que se perdeu, por tudo que apenas ameaçou e não chegou a ser, pelo que perdi de mim, pelo ontem morto, pelo hoje sujo, pelo amanhã que não existe, pelo muito que amei e não me amaram, pelo que tentei ser correto e não foram comigo. Meu coração sangra com uma dor que não consigo comunicar a ninguém, recuso todos os toques e ignoro todas tentativas de aproximação. Tenho vergonha de gritar que esta dor é só minha, de pedir que me deixem em paz e só com ela, como um cão com seu osso.
A única magia que existe é estarmos vivos e não entendermos nada disso. A única magia que existe é a nossa incompreensão."




Caio Fernando Abreu



quarta-feira, julho 28, 2010

Corpos







Pouco ar, 
pouco espaço.
Te beijo, 
te puxo, 
encaixo.
Enlaço-te em meu braço.
Te arranco as vestes, arranho.
Não me nega,
vem e me pega.
Desliza pelo meu corpo e enlouquece.
Brinca com minhas vontades,
me deixa sedenta e impaciente.
Me faz pedir, suplicar...
e me dá tudo o que tem.
Unimo-nos na ânsia de completarmos.
Falta ar, 
sobra prazer,
arrepios, suspiros, gemidos.
Me leva ao paraíso,
além do céu.
E no ápice,
flutuamos.
Deito em teu peito,
ouço teu cansaço. 
 Me encontro em teu abraço
e no teu olhar, 
sei que é onde devo ficar.






domingo, julho 25, 2010

Infindo poema





Deixe-me desabafar,
permita-me o arrependimento.
Erros são suscetíveis aos seres humanos,
mas compreendo o quão díficil pode ser 
apagar mágoas
e fechar as feridas.

A verdade
é que te preciso.
Estas presente nas minhas melhores lembranças,
És o meu primeiro pensamento do dia, 
e assim, aqui na minha mente
permanece até o adormecer.

Ahh! E nos Sonhos... 
nos meus sonhos te busco. 
Te faço presente, 
és o meu maior presente.

Teu sorriso,
tuas manias,
teu olhar
que me diz tanto quanto tuas mais doces palavras...
tudo é fascinante!

E é por tudo isso que pra ti,
guardo um poema infindo,
que é escrito todo e à cada dia,
aqui,
dentro de mim.


quarta-feira, julho 21, 2010

A nossa música



Ahh! aquela música que toca
e já faz a lágrima rolar,
mesmo que sem querer.

Aquela fotografia,
momentos, recordações.
Tempos felizes!

A sensibilidade está em tudo 
o que me faz viajar
pra longe...
e me faz te lembrar.

Vontade de voltar no tempo
e reviver tudo:
os beijos, olhares, intenções e erros...

De que adianta arrependimento?
Se foi pelo caminho seguido,
pelos passos errantes que te encontrei...
e fostes o meu melhor erro!

O mais doce e irresistível erro,
que me persegue as ideias.
E me faz chorar contente,
quando escuto aquela canção...
a nossa canção!


quinta-feira, julho 15, 2010

Conselhos...



E eu que sempre rejeitei sofrer por amor.
Distribuía conselhos a terceiros...
'Chorar por amor não adianta.'
Mas o que fazer quando não se tem escolha?
Quando a dor é tão forte
que desatamos o nó da garganta
apenas com o choro, o desabafo?
Quando os olhos se inundam em lágrimas
ao ver a indiferença de um alguém?
Alguém que mais se deseja,
que se quer cuidar, amar e amar.
O que fazer quando os amigos ligam e chamam pra sair,
mas se abomina a ideia de ver outras pessoas?
Só se quer ficar na cama a imaginar,
fantasiar tudo o que poderia ser
mas não é... e nunca vai ser!
E eu que tanto dava conselhos,
hoje me deparei com a verdade:
de amor eu nada entendo,
de amor, nada sei.




"Claro que você não tem culpa, coração, caímos exatamente na mesma ratoeira, a única diferença é que você pensa que pode escapar, e eu quero chafurdar na dor deste ferro enfiado fundo na minha garganta seca que só umedece com vodca, me passa o cigarro, não, não estou desesperada, não mais do que sempre estive."


Caio Fernando Abreu

Tempo que passa


Dias de espera,
de agonia.
Na janela,
contando estrelas.
Tempo que passa,
sem que passes por mim.
Mas, mesmo assim, espero...
Na esperança incançável,
sou ofuscada pelo brilho das estrelas.
Na fé inabalável
te assumo aqui.
O mundo se opõe,
mas ninguém sabe a verdade.
Um coração comprometido demais...
se encharca ou se quebra.
É tudo ou nada!
Espera ou espera...

segunda-feira, julho 05, 2010

À tua espera



Tenho vivido de palavras...
O desejo por ti é meu alimento.
O calor incendeia-me
O Sol que me arrepia a pele,
e aqui estou, à tua espera.
E quando faz frio lá fora,
nada sinto.
À tua espera,
permaneço.
Fugir não adianta...
te procurar em outros olhares,
em outros corpos me entregar
e não te encontrar,
não me encontrar.
Cansei de procurar...
no fim das contas eu descobri que é impossível
um coração enganar.
Chega de erros,
trair quem sou e o que desejo.
Dias, meses, anos, século, eternidades...
espero o tempo que for preciso,
pra te ter comigo.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...